segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Parabéns pro piloto

Depois de encarar mais um monte de trechos voados em Cabo Verde (don't ask!), eu finalmente tenho de perguntar:

PORQUE os passageiros batem palmas quando os aviões pousam aqui? Parece que em Angola também fazem isso, ou pelo menos assim me disse o senhor português que vinha sentado ao meu lado no avião. Tipo, eu também fico feliz do avião pousar, afinal a alternativa é péssima, mas decolar e pousar é meio que a obrigação do piloto, né? É meio como que bater palmas quando o taxista acerta um endereço, ou o carteiro entrega uma encomenda...

AGORA, se rolasse um cavalo de pau no final da pista... ai sim eu ficaria impressionado...

10 comentários:

Angelo disse...

ahhahaha, quando fui ao peru foi a mesma coisa

Socorro Acioli disse...

João, pois eu adoro quando batem palmas! É obrigação do piloto sim, mas acho que as palmas são pra chegada em paz em terra firme. Com tanto acidente acontecendo, eu sempre comemoro e agradeço quando o avião chega. Só falto bater palmas sozinha!

Angelo disse...

joao, mata uma duvida, tens vontade de ser diplomata?

RC disse...

Na empresa israelense (El Al), é quase uma regra. Pode ter a ver com algum tipo de percepção de risco: a África em geral é rotulada como um lugar complicado de se voar. Quanto à El Al, não precisa falar muito... Bem, só uma hipótese.

Socorro Acioli disse...

Eu já voei pela El Al e bati palmas para o piloto e para o comissário de bordo, que falava inglês, francês, espanhol, italiano, alemão, mas achava o português muito difícil...

Neda disse...

Eu não bato palmas, a não ser para pousos perfeitos. Ai, até os escandinavos aplaudem.
Creio que o aplauso tem muito a haver com a capacidade que certos povos ainda tem de se admirar com o admirável. Ainda não se contaminaram com o blasé ou para essas pessoas voar ainda é algo único, especial. Poxa, o avião pesa toneladas, mas voa macio que nem passarinho. Na última viagem ao Brasil, de TAP, a maioria dos passageiros aplaudiu o pouso em Fortaleza.

Socorro Acioli disse...

Esse negócio de aplaudir o pouso deveria até virar lei! É lindo!

João Marcelo disse...

Socorro, é bem brega, isso sim :P

Angelo, já pensei nisso, mas no comparativo, e avaliando minhas prioridades pessoais, não quero mais não.

Joaquim disse...

Eu já tive duas experiências. A primeira foi num vôo da VARIG, um DC-10,do Rio para BsAs em que o comandante fazia sua última viagem pois estava se aposentando. A aterrisagem foi inesquecível e perfeita, parecia que estávamos pousando num tapete! Os aplausos foram espontâneos e merecidamente estrondosos.Para nossa surprêsa o comandante estava na porta do avião, cumprimentou e agradeceu individualmente cada um dos passageiros.
O segundo foi num vôo da Ibéria
de Zurich para Madrid.Para começar a tripulação distribui um planfleto explicando que não haveria serviço de bordo por estar em greve.Logo depois, acredito que nada relacionado com a greve,começou uma forte turbulência seguida de uma despressurisação, soltaram-se as máscaras de oxigênio, todos os passageiros ficaram visivelmente assustados e para completar um comissário passou mal. Evidentemente na hora do pouso os aplausos foram inevitáveis.
Talvez, em "outros vôos" quando os passageiros conhecem as condições
de manutenção, aplaudem por terem chegado sãos e salvos !!!

orkut disse...

nossa !!! que inveja !!! viajei este ano 3 vezes de avião, e nenhuma comemoração !!! ou seja, os passageiros são frios e quietos, adivinha quem são????
JAPONESES !!!

lembro-me à vários anos atrás de viajar pelas américas e era normal baterem palmas nessas ocasiões!!!
agora aquí no Japão é essa pousada fúnebre, nenhum passageiro sequer diz: "muito obrigado por nada ter acontecido"