quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

O Brasil as vezes é foda... caso Sean Goldman

Eu não sei porque encontrei o blog das "Aventuras of a Gringa in Rio", mas foi daquelas coisas bem ao acaso, e como a menina escreve muito bem, acabei lendo bastante do blog...

E me deparei com ESTA história... pra resumir, menina rica do Rio casa com um modelo americano, tem um filho (Sean) com ele nos EUA e 3 anos e meio depois dá a doida nela, abandona o cara fingindo que está indo de ferias, sequestra o filho, e só agora, 4 anos e meio depois, o cara consegue atravessar a montanha burocrática brasileira e pelo menos REVER o filho...

Nesse interim, a menina conseguiu um divórcio a revelia do cara, apesar do americano ter contestado, conseguiu a guarda do filho apesar do sequestro e de existir uma decisão judicial americana pedindo o regresso dela e do menino para que o processo seja julgado nos EUA, residência legal deles, apesar do Brasil ser signatário de ambas as Convenções de Haia sobre temas de relações familiares, e sobre sequestro em particular (links AQUI e AQUI) , casou novamente com um advogado, filho de uma família de advogados importantes (por coincidência, quem fez todo o processo dela no Brasil) e morreu no parto do segundo filho (tipo, crueldade ela ter morrido, mas Karma is a bitch!).

Pra piorar, o novo marido, antigo advogado, ainda entra com um pedido de guarda permanente do menino, e junto com a familia da morta, consegue impedir que o pai biológico receba a guarda da criança.

Nessas horas dá uma vergonha danada do nosso país, sabe? Que justiça é essa que demora 4 anos e meio pra avaliar uma coisa dessas, fazendo um pai perder quase toda a primeira infância do único filho? 4 anos e meio! Putz, eu estou a menos de 3 semanas sem ver o meu filho e estou ficando maluco... e eu sei que ele volta... a dor que esse cara deve estar passando é algo que eu não consigo imaginar, ou mesmo desejar pra alguem, por pior que seja.

E a imprensa brasileira NADA de noticiar isso! UM mísero comentário num dos blogs do "O Globo", o "Brasil com Z", agora no dia 10/02. Ter família importante e dinheiro com certeza ajuda a se manter fora dos jornais (e da lei, por que não?).

No Itamaraty a gente é orientado, quando está fazendo curso de assistência consular, sobre os casos de mulheres brasileiras que casam com árabes e perdem a guarda dos filhos... infelizmente, é um caso difícil, onde a lei do país normalmente está do lado do marido, e a gente não pode fazer nada... pras que ainda estão planejando casar e se mudar pra esses países, só podemos dizer "pensem bem" e "tenham bastante certeza". Depois dessa situação vergonhosa pra nós, tomara que o pessoal do Departamento de Estado americano comece a aconselhar os homens de lá de forma semelhante sobre as mulheres do Brasil.

Mais sobre o caso (em inglês): BringSeanHome.Org

5 comentários:

Helga disse...

PUTZ GRILA!!! Estou chocada com a estória!! E o destaque vai para:

"e morreu no parto do segundo filho (tipo, crueldade ela ter morrido, mas Karma is a bitch!)"

Este twist eu NÃO previa! :P O melhor é a família comprando a briga por ela (apoiando o 2o marido, adevogado).

Sim, há casos em que a justiça brasileira (pra não falar das outras áreas) me mata de vergonha também!

P.S.: Eu diria que informalmente este tipo de papo deve rolar mesmo entre os gringos.

FH disse...

Po....
como assim? nao noticiaram exatamente nada mesmo....
agora essa mina tb... meu deus que vagaba.
tomara que se resolva bem e nao vire um roteiro de hollywood.

agora sobre o mundo árabe.... para nós, deve ser um grande mundo a parte, nao?

imagino quem trabalha no DAC, deve ter uma cabeça excelente pq se depara com muitas situações que mexem com o psicologico.

João Marcelo disse...

Eu queria trabalhar no DAC, mas acabei indo pra Crime Transnacional... analisando bem, eu não teria dado certo... ia me envolver demais...

rc disse...

As páginas já estão ocupadas pelo Battisti...

João Marcelo disse...

Apaguei o comentário... agradeceria se evitassem comentários racistas ou ofensivos.