segunda-feira, 6 de abril de 2009

Quando fazer o trabalho doi...

Eu não sou das pessoas mais emotivas do mundo... a Neda vive reclamando disso, meus pais tbm... enfim, é dificil algo incomodar ou me tocar, porque as vezes eu sou muito contido no meu próprio mundinho, e a maioria das coisas que me importam estão sempre comigo (familia, pelo menos a mais direta, Neda e Gui, meus amigos, que mesmo não estando PERTO, estão "perto" pela net, meus bichos, ainda que eu quase que diariamente planeje fazer um tamborim com o blanquito, e meus hobbies - meus livros, minhas miniaturas, etc).

Mas semana passada eu passei por uma coisa que, apesar de saber que um dia ia acontecer, nunca imaginei que fosse TÃO logo, nem que fosse do jeito que foi.

Eu já despedi gente... despedi empregadas, dispensei faxineiras, ajudei minha mãe quando precisou dispensar um motorista, etc. Mas tudo gente com pouco tempo de convivência, e que tinham plenas condições de se recompor depois da queda...

Mas sexta-feira eu dispensei um senhor de mais de 70 anos, que estava no mesmo emprego a mais de 25 anos... Num caso desses, você diz o que pra pessoa?

Não me entendam mal, eu estava certo. Aliás, nem eu, porque a decisão não foi minha, nem fui eu que coloquei as engrenagens em movimento, eu só levei a cabo a parte da "execução". Mas a administração estava 100% correta. Não foi uma decisão financeira, pra cortar gastos, nem mesquinha, por não gostar da pessoa. Foi totalmente baseada em motivos sólidos e relevantes, eventos que o próprio funcionário causou.

Enfim, independente do cara já ter tomado mais de três advertências, do comportamento impróprio no trabalho e da atitude ao saber da decisão final, eu fiquei mal paca. Não sai da minha cabeça o esquema, e pra piorar eu sempre tive pena de velho... culpa da minha mãe, que ADORA velho... eu nem gosto, aliás por default tenho até uma certa antipatia, mas SEMPRE tive pena. E agora tenho de dormir sabendo que de manhã o cara não tem mais pra onde ir, nem motivo pra sair da cama...

Perdoem o desabafo, eu tenho uns 4 ou 5 posts quase prontos pra colocar, um monte de fotos, mas nesse momento eu realmente não tava conseguindo sentar e escrever...

5 comentários:

Neda disse...

João, mas o cara tem um aposentadoria, não é como se ele estive na rua da amargura.

Blenda disse...

concordo com a Neda. E o que mais eu posso dizer...

corra, Blanquito, corra!!!!

Helga disse...

Concordo com a Neda (fatos não ditos pelo sr no post) e com a Blen.

E tb, se em 70 anos a única coisa que o fazia acordar pela manhã (e não sua família, seus feitos, suas conquistas, seus ideais) era apenas o seu trabalho.. e mesmo assim ele o fazia sem esmero, a responsa realmente não é sua.

RC disse...

Rapaz, o que está faltando no emeerreé, no serviço público em geral, são pessoas capazes de fazer o que precisa ser feito (e o que é correto). Se você fez algo necessário, correto, de acordo com as leis e tudo o mais, sinta-se bem, porque você pode ter "prejudicado" o homem, mas presto um serviço bastante em falta ao seu país.

FH disse...

concordo com a Neda tb, mas entendo o q esta sentindo.
sou adm e realmente nao eh facil psicologicamente fazer isso.
mas o funcionario foi advertido, imagino que tb foi conversado, explicado o q estava acontecendo....
paciencia e tente nao pensar mto nisso.