quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Burrocracia

Alguém me explica porque cobram os documentos sete vezes entre a fila do check in e o embarque no Aeroporto da Praia?

Porque na minha cabeça não faz o menor sentido...

Teu um (ou uma) guardinha que fica na entrada da FILA pro check in que cobra os documentos (01), o próprio funcionário da companhia aérea no ato do check in (02), novamente o maldito guardinha pra te deixar entrar na área em frente ao controle de passaportes (03), um segundo guardinha, EM FRENTE da porta do controle de passaportes (04), o próprio policial, que faz o controle (05), um segundo policial, na máquina de Raio-X (06) e uma combinação de policial e funcionário da companhia aérea, antes de você sair da área de embarque e ir, andando, pra embarcar no avião (07).

Fora que tem algumas aeromoças (ou hospedeiras, como chamam em Portugal e as vezes aqui, deve ser irônia, porque o pessoal é bem brutinho... nada hospitaleiro :P) , o que ainda somaria uma OITAVA checagem...

É uma sanha insana de ver o passaporte da gente, em uma combinação qualquer com passagem/cartão de embarque.

Eu entendo as checagens pela companhia e pela polícia, as primeiras, pelo menos... os guardinhas são um saco, e a repetição é de doer... menos de 10 metros separam o controle de passaportes do Raio-X... precisa mesmo ver os documentos de novo? E depois de entrar na sala de embarque, porque não pode guardar o passaporte? E novamente, porque a repetição é a ordem do dia, PORQUE os malditos guardinhas insistem em ver a minha foto e conferir meu nome com a passagem/cartão, se a menos de 15 metros daí eu já ia ter de fazer check in mesmo? Aliás, controle pra entrar em fila, só aqui mesmo...

5 comentários:

FH disse...

Ae João!!!

seria um resquício da colonização portuguesa? 7x cobrar documento, aqui cobram 3 e eu já fico com cara feia! hahahaha

e a história do frentista, meu deus! imagina o qto de gente acha que ta cheio e para na proxima esquina por falta de combustivel? hahaha

um excelente ano para vc, esposa e filho, boa viagem, otima mudança no meio do ano, e precisando de algo estamos a postos.

Angelo disse...

bizarro

Alexandre Correia disse...

Olá João,

A sua história no aeroporto da Praia lembra-me o que se passava em Luanda nos anos 80. Vivia-se uma guerra civil duríssima em Angola e nessa altura nem a capital estava isenta de grandes restrições à circulação de pessoas. Uma delas era um recolher obrigatório, que vigorou durante anos e que obrigava a ser detentor de livre-trânsito oficial quem quisesse andar na rua de noite. Por várias vezes tive um desses livre-trânsito e quando percorria a marginal de Luanda o meu veículo era barrado em controlos militares para conferir os documentos aí umas oito ou nove vezes num par de quilómetros. Arrancava do primeiro controlo e não tinha espaço para engrenar a terceira marcha, porque já estava a parar no segundo controlo e assim sucessivamente. Nunca fui dispensado deste moroso processo num só controlo. Porque, diziam, estavam ali para controlar todos os que passavam...

Abraço,

Alexandre Correia

Mosca1 disse...

Acho muito mais bizarro conseguir embarcar, em vários aeroportos do Brasil, sem precisar mostrar nenhuma identificação a quem quer que seja.

João Marcelo disse...

Olha, se você despacha mala no Brasil, tem de mostrar no checkin... cobram e conferem com leitor de código de barras na entrada da área de embarque e no embarque do avião... Só ai são três... se você faz self-checkin, na maquina, e não tem bagagem, dá pra ir direto pro embarque, mas não escapa do guarda lá...

Se vc está embarcando sem mostrar documento algum, EVER, me ensina o truque :)